"Por ser de lá, na certa por isso mesmo", resistente e insistente como à macambira, que brota da pedra rachada sob o sol, adotou o sobrenome artístico dessa planta em seu segundo nascimento, o do artista, o de André Macambira.

 

Viveu vida de andarilho nesses brasis afora devido ao ofício paterno, Mestre-de- Obras, de onde obras houvessem.

E passou Minas, passou Tocantins...

E lá se foi São Paulo e Santa Catarina....

E se andou  Pará e Rio Grande do Sul

E viveu-se à Bahia e o Maranhão.

Até chegar Pernambuco novamente, como se fosse um giro de ciranda mundo afora que terminasse ou pronto estivesse pra recomeçar.

 

Em todos esses lugares inventando e sendo inventado pela música, jamais esqueceu à terra dos altos coqueiros, sua terra, seus cânticos e sua gente, para onde retornou a 12 anos, anos de lida a compilar, juntamente com seus parceiros em seus cantos e violões, tudo o que viu e viveu nessa sua saga nordestina.

bio